calculo_mental

Portugal tem quatro estudantes campeões mundiais em cálculo mental

Campeonatos SuperTmatik decorrem anualmente e online. No ano passado envolveram mais de 277 mil alunos de 65 nacionalidades.

Quatro estudantes portugueses, dois deles de Abrantes, conquistaram este ano o título de campeões mundiais de cálculo mental no SuperTmatic, nos respetivos escalões, tendo João Bento, de 14 anos, conquistado o título mundial pelo terceiro ano consecutivo.

Nos resultados provisórios avançados no site da organização, Portugal ficou em primeiro lugar na geral do SuperTmatic – concurso de cálculo mental com jogo de cartas destinado ao treino das operações básicas da matemática para os alunos do 1º ao 9º ano de escolaridade – e com quatro estudantes lusos a conquistarem as posições cimeiras nos respetivos escalões etários, sendo dois deles estudantes em Abrantes, um de Castelo Branco e um outro de Mafra.

Rita Mascate, estudante do 4º ano na escola da Chainça, do Agrupamento de Escolas nº 2 de Abrantes, João Bento, do 8º ano da secundária Solano de Abreu, pertencente ao Agrupamento de Escolas nº 1 de Abrantes, Matilde Santos Lourenço, do 1º ano do Centro Social Padres Redentoristas, de Castelo Branco, e Miguel Diogo Ruivo, do 5º ano da escola Básica António Bento Franco, em Ericeira, Mafra, foram os mais rápidos do mundo na resolução das 15 equações da competição.

João Bento, de 14 anos, conquistou o 1º lugar no seu escalão e o segundo melhor tempo mundial de sempre, no total das 10 edições do concurso, com um tempo de resolução de 34,1 segundos às 15 equações que lhe foram apresentadas, o 2º melhor tempo da história da competição, e com um tempo médio de resolução de 2,27 segundos por equação.

João Silva Bento, estudante do 8º ano na Escola Secundária Solano de Abreu, sagrou-se campeão mundial de cálculo mental pelo terceiro ano consecutivo. O recorde mundial da prova já lhe pertence e este ano gastou mais sete centésimos de segundo relativamente ao ano passado.

O 2º classificado, um aluno coreano (47′ 11″), ficou a uma distância de 13 segundos de João Bento. O terceiro lugar foi para a Escócia, com um tempo de 47,40 segundos.

No ano passado, João Bento conseguiu um tempo de resolução de 33,66 segundos às 15 equações que lhe foram apresentadas. A vitória nos últimos dois anos deu a João Bento dois troféu de cristal e a possibilidade de jantar duas vezes com o então Presidente da República, Cavaco Silva, a convite deste.

Rita Mascate, de 10 anos, no primeiro ano em que participou, e perante milhares de concorrentes de todo o mundo, foi a mais rápida, com um tempo de resposta de 41,44 segundos às 15 equações, dando um avanço de 5,45 segundos à segunda classificada, (China), com 46,89 segundos, e mais de seis segundos ao terceiro classificado (Malta), que gastou 47,40 segundos.

“Eu adoro tabuadas e estou sempre a fazer contas”, destacou Rita Mascate, tendo referido que soube da importância do seu feito pela reação do seu professor: “quando soube o resultado, o meu professor ficou muito espantado pelo que me pareceu que tinha sido bom”, disse a jovem campeã mundial.

“Ela gosta de fazer bem e trabalha sempre para ser a melhor, em vários domínios, é uma característica dela. É um resultado espetacular e que é motivador para ela”, destacou a mãe de Rita, Cristina Martins.

Da escola da Chaínça, de Abrantes, saiu ainda um 9º lugar, ficando Simão Silva no ‘top ten’ mundial, ainda no 4º escalão, com o tempo de 49,99 segundos.

No total dos nove escalões, Portugal conseguiu quatro primeiros lugares e a liderança na classificação geral.

A organizadora do evento mundial disponibilizou na sua página na internet a classificação parcial da competição, tendo divulgado a classificação dos primeiros 20 países no concurso SuperTmatik 2014/2015 e a classificação dos 10 melhores alunos de cada escalão. Os resultados definitivos e estatísticas oficiais serão conhecidos no dia 18 de maio.

A competição relativa aos Campeonatos SuperTmatik, que decorrem anualmente e online, envolveu no ano passado mais de 277 mil alunos de 65 nacionalidades diferentes.

 

Lusa/Público

Sem comentários

Deixe uma resposta

*

*