ivconvencaonacional2016

IV Convenção Nacional FNE/CONFAP/ANDAEP

O título escolhido para este breve artigo que conta a história da IV Convenção FNE/CONFAP/ANDAEP foi atirado em tom de desafio por um dos oradores convidados e resume de alguma forma o objetivo a que se propuseram mais de duas centenas de participantes e um diversificado leque de oradores que presentearam a plateia com as sua intervenções.
As novas tecnologias e as estratégias para inovar em contexto de sala de aula foram os temas que dominaram a manhã da Convenção. João Cunha, professor do Agrupamento de Escolas de Freixo, em Ponte de Lima, trouxe ao debate sobre “Como as Escolas Podem Inovar na Sala de Aula” o exemplo de uma instituição que, apesar de inserida num meio rural e desfavorecido, está integrada no projeto da Microsoft, o Office 365, que permite à escola fazer parte de uma rede mundial de escolas que estabelecem contactos entre si.

A utilização das novas tecnologias e a capacidade de as integrar nas aulas e na aprendizagem foi o tema desenvolvido neste painel. Esta escola é reconhecida pela Microsoft como um dos melhores exemplos de interação entre os conteúdos programáticos e as ferramentas tecnológicas. João Cunha explicou o porquê deste reconhecimento e defendeu que foi fundamental admitir dentro da comunidade escolar a necessidade de criar algo novo. Para este professor é preciso assumir e revelar o que de bom se faz nas nossas escolas. “Não somos piores ou melhores do que escolas de outros países, temos é realidades diferentes”, defendeu.

No segundo painel da manhã falou-se sobre “Tecnologias do Presente e do Futuro”, como orador esteve António Osório, da Universidade do Minho que conquistou a plateia com o seu bom humor. Foi em tom descontraído que falou de assuntos sérios, como por exemplo a dependência tecnológica que todos sofremos nos dias de hoje e a forma como as novas tecnologias estão a mudar a nossa vida e a tomar conta do nosso dia-a-dia. A palestra de António Osório serviu essencialmente para questionar, interrogar e provocar a plateia. “Como nos devemos preparar para o futuro é altamente especulativo”, ironizou o professor da Universidade do Minho.

Da parte da tarde os participantes ficaram a conhecer com mais pormenor o projeto Fénix. Luísa Moreira, coordenadora do projeto, teve oportunidade de explicar as motivações que levaram à concretização desta ideia que surgiu no Agrupamento Campo Aberto, Beiriz, resultante de uma forte vontade em proporcionar condições para que todos os alunos possam efetuar aprendizagens e consolidar saberes. Mais do que combater o insucesso, interessa qualificar esse sucesso, dando-lhe novas dimensões e horizontes de sustentabilidade e criação de objetivos. O projeto Fénix tem como missão dar apoio a alunos que a dada altura do seu percurso escolar evidenciam algumas dificuldades de aprendizagem.
A principal mensagem que Luísa Moreira quis deixar foi a de que é possível mudar e construir algo de verdadeiramente positivo no combate ao insucesso e abandono escolar e na promoção do sucesso dos nossos alunos. “É uma escola onde tem de haver compromisso. É uma escola onde tem de haver autonomia”, frisou A coordenadora do Projeto Fénix.

Seguiu-se uma breve intervenção sobre “Novas Dinâmicas de Aprendizagem para a Escola do Presente” a cargo de Maria Isabel Araújo e Carlos Lima Cunha da Escola Secundária Dom Manuel Martins, de Setúbal.

Os trabalhos finalizaram com uma comunicação e debate sobre “A Promoção do Sucesso Educativo como Condição Natural na Escola”, a cargo de José Verdasca, da Universidade de Évora e que trouxe ao debate a ideia de insucesso zero, onde a escola tem autonomia para agir e reagir perante realidades menos favoráveis ao sucesso escolar. José Verdasca teve oportunidade de apresentar o projeto Escola Inteligente que está a ser desenvolvido em algumas escolas do Alentejo e em que as novas tecnologias estão ao serviço das aprendizagens dos alunos. A Universidade de évora é um dos parceiros do projeto.

A IV Convenção Nacional FNE/CONFAP/ANDAEP foi mais uma vez um sucesso e este ano introduziu uma novidade. Ao longo do dia de trabalho e reflexão foram introduzidos três momentos musicais e de dança: o primeiro com Vicente Silva, da Academia de Música e Artes de Rio Meão, com Guitarra Clássica; o segundo momento esteve a cargo do grupo Ensemble de Clarinetes da Academia de Música de Paços de Brandão, dos Escudeiros da Far e Queijo e da EB Farinheiro Fornos; finalmente e a terminar o dia de trabalhos, os participantes foram brindados com uma atuação dos Performance Gdancers, do BeFit Club Mozelos.

A Convenção Anual FNE/CONFAP/ANDAEP é um dos momentos mais importantes das três organizações, que ao longo dos últimos quatro anos têm desenvolvido esforços no sentido de encontrar o melhor rumo para o nosso sistema educativo, mobilizando professores, pais e diretores de escolas. Isso mesmo quiseram sublinhar nas suas breves intervenções de abertura e encerramento, João Dias da Silva pela FNE, Jorge Ascensão pela CONFAP e Filinto Lima pela ANDAEP.

 

Artigos:

Multimédia:

Sem comentários

Deixe uma resposta

*

*

336x280ad

Artigos Populares