paredescoura

Investimento de 2ME vai reabilitar escola com 30 anos em Paredes de Coura

A escola básica e secundária de Paredes de Coura, com 30 anos e “em estado de degradação”, vai ser alvo de obras de reabilitação de mais de dois milhões de euros, investimento suportado pelos fundos do programa Norte 2020.

Em comunicado, hoje, a Câmara de Paredes de Coura adiantou que a candidatura apresentada em abril passado aos fundos comunitários “foi aprovada no âmbito do programa operacional regional Norte 2020 e comunicada pelo Ministério do Planeamento e Infraestruturas”.

“Por ser evidente o seu estado de degradação desde há vários anos integrou a fase 3 do Programa de Modernização do Parque Escolar”, sustentou a autarquia, adiantando que “Paredes de Coura vê concretizado um sonho antigo de requalificação uma vez que as condições de degradação do edifício já punham em causa o bom desenvolvimento da aprendizagem escolar”.

As “condições de degradação” do equipamento já tinham levado a Câmara Municipal a investir “cerca de 350 mil euros na substituição de coberturas, portas, janelas, revestimento e isolamento de paredes exteriores”.

“A educação é uma das nossas prioridades, até porque acreditamos que o futuro da Paredes de Coura depende da formação dos nossos jovens. É aqui que temos de investir”, adiantou Vítor Paulo Pereira, citado na naquela nota.

Como exemplos, apontou “a promoção do ensino de inglês e música clássica no pré-escolar, as feiras de Troca de Sementes inseridas no Projeto Educar para o futuro – Terra, a Caixa de Brinquedos e a Escola do Rock, equipamentos concluídos no último ano e cujo investimento se traduziu em quase 2 milhões de euros”.

“Ao todo, e fazendo jus a uma recente estatística oficial comparativa do investimento municipal por setor no Alto Minho, Paredes de Coura dedica aproximadamente 20% do seu orçamento à cultura e à educação. Fazemos isto com o coração, porque sabemos que é a verdadeira aposta no futuro”, conclui Vítor Paulo Pereira.

 

Paredes de Coura, Viana do Castelo, 03 jun (Lusa)

 

Sem comentários

Deixe uma resposta

*

*